quinta-feira, 13 de maio de 2010

Não se sinta única, porque você Não é

Não adianta pensar que é segredo
Querer se sentir diferente
Porque um soco no estômago dói pra valer
E uma noite de rodadas misturas deixa de ressaca.

Pare de fazer pose, pare de fazer pose.

No BANG caímos duros e frios
Na escuridão os vermes crescem
A dor acaba chegando sempre
De bobeira, cara de idiota, se corroendo.

Pare de fazer pose, pare de fazer pose.

Carros explodem
Passarinhos estilingados
Aviões caem
Trabalhadores estuprados

Um dia você terá rugas e buracos na cara
Um dia você irá brochar, você esquentará na menopausa
Um dia o dia sequer irá nascer
E terá sido mais uma noite perdida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário